Por Isabella Botelho; 15/11/2019 às 11:34

Conheça três iniciativas criativas lideradas por mulheres que estarão no Pixel Show 2019

A 15ª edição do evento acontece em São Paulo de 29 de novembro a 01 de dezembro

Divulgada esse ano e realizada pelo Sebrae, a pesquisa “Empreendedorismo Feminino no Brasil” comprova que a participação das mulheres na vida econômica brasileira aumenta consideravelmente a cada ano.

O Brasil está em 7º lugar no ranking mundial de mulheres empreendedoras, estando à frente de países como Estados Unidos e Espanha, por exemplo. Atualmente, elas correspondem a 34% dos 27,4 milhões de Donos de Negócio existentes no Brasil. E quando o cenário do MEI (Microempreendedor Individual) é analisado, a estimativa é ainda maior, pois quase metade dos microempreendedores existentes no país são mulheres (48%).

Essa tendência também se apresenta fortemente dentro da economia criativa e o Pixel Show por se tratar de um fomentador do setor no Brasil – a edição de 2019 tem a estimativa de mobilizar mais de 55 mil pessoas e gerar R$25 milhões em negócios -, não poderia deixar de anunciar importantes empreendedoras criativas em seu line-up. As palestras das 8 temáticas do evento terão painéis que abordarão o protagonismo, a criatividade e o empoderamento feminino.

Entre os destaques da programação:

Nana Lima fala sobre o papel do Feminismo na publicidade

(Foto: Reprodução)

Nana é sócia da Think Eva e diretora de projetos da Think Olga. Em 2017, o Think Eva lançou o estudo “Compromisso Inegociável” que trata do papel do feminismo na nova dinâmica entre mulheres e marcas, além de garantir a representatividade nas campanhas.

Um dos pontos que a palestra abordará será o processo de mudança de comportamento das campanhas. “Por muito tempo e, às vezes, ainda hoje em algumas marcas, a mulher foi representada como um objeto, um ser submisso, sexualizado, que não tem muita opinião e tudo isso era feito para vender um produto. Devido a uma forte pressão social feita pelas mulheres, principalmente nas redes sociais, as marcas começaram a mudar a lógica da propaganda brasileira”, explica Nana.

A palestra será no dia 30/11, às 10h30, na sala Publicidade.

Thais Weiller palestrará sobre Game Design Agridoce

(Foto: Reprodução)

Divulgada em junho deste ano, a Pesquisa Games Brasil 2019 mostrou que 53% do público que consome games são do gênero feminino e 47% do masculino, ou  seja, tem aumentado o número de mulheres engajadas ao mundo dos games. Sobre isso, Thais comenta: “Desde o início, a mulher consome muitos games. Nós sempre estivemos aqui, mas fomos rechaçadas por muitos anos”.

Thais tem ampla experiência no universo dos games, já trabalhou em projetos corporativos móveis e sociais, jogos de plataformas independentes e até escreveu uma dissertação sobre videogames. O tema da sua palestra, Game Design Agridoce, é uma proposta de pensar o design de jogos como um espaço para ampliar a experiência sensorial do jogador e trazer maior imersão para a plataforma.

A palestra será no dia 1/12 às 18h na sala Digital.

Marcia e Luiza Caspary contam sobre o universo da áudio descrição

(Foto: Reprodução)

Em 2008, Márcia foi convidada a gravar uma audiodescrição para um curta de animação, por ser uma profissional da voz e atriz. Em 2010, fez o curso sobre o assunto e, desde então, não parou. Uma colega publicitária sugeriu áudio como solução para descrever o clipe de Luiza, profissional da voz e cantora, que também passou a querer acessibilizar seus conteúdos nas redes sociais e trabalhos autorais. Além de mãe e filha, hoje Marcia e Luiza são sócias.

Enquanto empresa, entenderam a importância de focar neste universo. “A audiodescrição pode ser aplicada em praticamente tudo o que se vê. Eventos ao vivo, seminários, palestras, shows, teatro, ópera e muito mais. Quem entender a importância dos recursos de acessibilidade participará da construção de algo novo que nos faz perceber o outro, que nos torna mais humanos”, conta Marcia.

“A audiodescrição é uma ferramenta essencial de inclusão que amplia o entendimento de pessoas cegas ou de baixa visão, além de auxiliar na melhor compreensão de pessoas com deficiência intelectual e disléxicas, por exemplo. Eventos com audiodescrição, consequentemente, proporcionam a integração e interação do público com deficiência com os demais”, conclui Luiza.

A palestra será no dia 30/11 às 14h20 na sala Pixel Voice.

Para acompanhar essas e as outras palestras e ter acesso as oito salas do Pixel Show (Business, Tech – 3M, Digital, Pixel Voice, Voxel – Mackenzie, Visionários, Design e Publicidade) é necessário adquirir o ingresso da Conferência pelo site do Pixel Show.

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.