Por Isabella Botelho; 04/03/2019 às 11:02

5 marchinhas de carnaval contra o assédio

Empoderadas, as músicas pedem o fim do assédio nas folias

As marchinhas são tradicionais e não podem faltar no carnaval! Suas letras são irreverentes e bem-humoradas, refletindo a personalidade do brasileiro. O gênero teve seu auge das décadas de 1920 a 1960, sendo posteriormente substituída pelos sambas enredo. Atualmente, as marchinhas voltaram à moda e continuam alegrando os blocos de rua do país.

Mas se antes a folia era dominada por letras machistas e que retratavam o corpo da mulher de forma pejorativa, agora compositoras e compositores criam músicas contra qualquer tipo de assédio e violência.

Confira a seguir cinco marchinhas contra o assédio:

Se você quiser” – Bruna Caram e Chico César

“Paródia #CarnavalSemAssédio – Maíra Medeiros

“Não vem se eu não quiser” – Nem Secos

“Marchadelas” – Maíra Guedes, Carla Vizeu e Sheila Sanches

“Marcha das minas”

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.