Por Isabella Botelho; 07/03/2019 às 16:50

3 cases negativos do Dia da Mulher

Conheça 3 campanhas que falharam ao homenagear as mulheres

Nas últimas décadas, o movimento feminista tem se tornando cada vez mais popular e conhecido, por isso, não passa despercebido pela indústria da publicidade. Nos últimos 25 anos, os marqueteiros aperfeiçoaram o conceito de ‘femvertising’ – palavra formada pela junção dos termos ‘feminist’ (feminista) e ‘advertising’ (propaganda) – que nada mais é do que a “propaganda que usa pessoas, mensagens e imagens ligadas ao movimento pró-mulheres para promover o protagonismo de mulheres e garotas”.

Hoje, o mundo da propaganda é muito menos machista do que era há cerca de 50 anos atrás, mas, mesmo assim, ainda falha ao tentar entender e representar os desejos e aspirações das mulheres. Por isso, o Mercadizar listou três campanhas do Dia da Mulher que não foram bem recebidos pela sociedade. Confira:

Saraiva

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher de 2017, a rede brasileira de livrarias decidiu fazer uma promoção que oferecia 50% de desconto na compra de livros, exclusivamente para mulheres que efetuarem o cadastro no site oficial da livraria.

Mas, o que era uma boa campanha de marketing para elevar as vendas e fidelizar clientes se tornou um problema. Isso porque os livros postos em promoção ficaram restritos a temas específicos: ‘românticos’, ‘culinária’, ‘religiosas’, ‘geek’, ‘atitude’, ‘cuidados com o corpo’.

(Reprodução/Internet)

Diageo – Jane Walker

A Diageo é a maior produtora de bebidas destiladas do mundo e dona das principais marcas desse tipo de bebida. Recentemente, se envolveu em uma polêmica ao lançar uma edição limitada do famoso uísque Johnnie Walker em homenagem ao Mês da Mulher: a empresa criou a Jane Walker, versão feminina do personagem que rotula as garrafas de Red e Black Label.

Jane Walker foi anunciada como ‘mais um símbolo do compromisso da marca com o progresso’ e a Diageo prometeu doar U$ 1 de cada garrafa vendida para a caridade, mas, mesmo com as ‘boas intenções’, a marca foi alvo de muitas críticas de clientes que questionaram a necessidade de criar um novo rótulo para que o público feminino se identificasse com a bebida.

McDonald´s Brasil

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher de 2018, o McDonald’s resolveu divulgar que 20 de seus restaurantes estavam sendo operados apenas por funcionárias mulheres, mas a repercussão não foi nada boa. Internautas e clientes acusaram a rede de lanchonetes de dar folga aos funcionários homens justamente no dia em que se comemora as conquistas femininas. Após toda a repercussão negativa, a marca se posicionou através de nota oficial e afirmou que os funcionários homens teriam sido realocados para outros restaurantes e não dispensados.

 

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.