Uma reflexão sobre reconhecimento

Por
Mariana Moreira
Há 4 semanas atrás
Quem é Mariana Moreira?

Formada em Relações Públicas pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Mariana é diretora executiva da Mercadizar.com e da VR Assessoria em Comunicação e Marketing.



Estamos em uma era cada vez mais digital e um dos assuntos que mais se fala no momento não é a tecnologia, é a humanização. O relacionamento, a empatia, o contato, o olho no olho (mesmo que seja através da tela do celular). Antigamente o marketing tinha apenas 4 P’s: produto, preço, praça e promoção. Hoje, já entendemos que foi preciso incluir o fator principal que havíamos esquecido: as pessoas. 

São as pessoas que movem qualquer negócio. E não devemos pensar apenas nos nossos clientes e seus consumidores. Devemos pensar em quem trabalha ao nosso lado também. Muito se fala sobre saúde mental e burnout, estamos vivendo em uma sociedade que está cada vez mais depressiva e esgotada. E mesmo sabendo que este mal afeta a todos, sem exceção, quero propor uma reflexão sobre um profissional em especial: o atendimento. 

O atendimento publicitário é um dos cargos que mais sofre pressão psicológica em uma agência, e é de todos os lados. Precisa apaziguar com o cliente quando o trabalho não está satisfatório, leva bronca do chefe porque o cliente reclamou, pega pressão do mídia porque os PIs ainda não foram aprovados, escuta reclamação da criação porque o briefing não está completo ou o prazo está apertado e assim continua, neste ciclo sem fim. E na hora do reconhecimento, os aplausos são apenas para os criativos. 

Não quero aqui desmerecer o trabalho realizado por uma dupla de criação, mas sem o conhecimento e relacionamento estabelecido pelo atendimento não há informação, não há prazos, não há aprovação e nem parceria. Proponho a qualquer pessoa que trabalhe em uma agência de publicidade a imaginar um dia sem os atendimentos e contabilize todos os ruídos de comunicação que podem (e irão) ser gerados. Com o excesso de informações que recebemos de todos os lados, seja off ou on, do cliente ou de outro setor, o atendimento consegue filtrar e organizar o que de fato é importante e para quem. Com uma visão ampla de todas as etapas de uma campanha, sabe também como ser o elo entre o cliente e a agência e até mesmo dentro da própria agência.  

Por muitas vezes, o trabalho realizado não tem devido reconhecimento e para profissionais mulheres, ainda há o risco de serem assediadas ou subestimadas em reuniões ao tentarem expor suas opiniões. É importante que as agências se preocupem com a qualidade de vida e o emocional de quem precisa lidar com pressão e prazos diariamente.  

Na era do relacionamento, é crucial cuidar e reconhecer o papel de quem é o responsável pelas relações.


Essa é uma opinião do autor e não do Portal Mercadizar.


*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.