Por Ariel Bentes; 04/11/2019 às 18:30

Olívia de Amores explora raízes latinas da cultura amazônica em novo clipe

Vídeo foi gravado durante um passeio de barco regional pelo Rio Negro

Um dos destaques da nova cena musical manauara, Olívia de Amores se prepara para lançar seu primeiro álbum e antecipa o projeto com “La Cancionera”, seu novo clipe e single, já disponível nas plataformas de streaming. A canção explora as raízes latinas da cultura amazônica e teve seu vídeo gravado durante um passeio de barco regional pelo Rio Negro “‘La Cancionera’, tanto a música quanto o vídeo, tem influência latina forte. 

Esse trabalho evidencia que a cultura na Amazônia tem raiz indígena e ribeirinha. O indígena, por sua vez, não tem identidade unicamente brasileira: pertence a nações inseridas na Amazônia transnacional. Por isso, há muito da cultura colombiana e peruana no caboclo. Quando se fala em identidade amazônica, tão importante quanto reconhecer a brasilidade é reforçar a nossa identidade latina, que se expressa de forma essencial aqui”, avalia Olívia.

O clipe de “La Cancionera” foi gravado em um clima de descontração durante um dia de passeio de barco com amigos e família, no que ela denominou “Cruzeiro de Amores”. O registro, com um clima intimista, cria paralelos da cultura de Manaus com a diversão em outras regiões do país.

 “O retrato do lazer do brasileiro é tipicamente dia de sol, praia e churrasco. A minha intenção principal foi mostrar para o Brasil que nós, povo do Norte e da Amazônia, temos particularidades que facilmente podem ser correlacionadas com hábitos de brasileiros em geral. Enquanto no Sudeste as pessoas vão para uma praia no litoral, aqui em Manaus pegamos um barco para ir a uma praia de rio; enquanto nas tardes de domingo se come churrasco, nos almoços das famílias amazonenses se come tambaqui assado. A estética em VHS mirou justamente a criação de um ambiente familiar, de espontaneidade e despretensão, como os vídeos caseiros da nossa infância em um passeio qualquer”, reflete Olívia.

A ser lançado em breve, “Não é Doce” terá produção musical de Bruno Prestes e masterização do americano Steve Fallone, que trabalhou com artistas como The Strokes, Arcade Fire, Interpol e Adele, entre outros. Com ele, Olívia coroa uma trajetória iniciada com a banda Anônimos Alhures e agora ampliada com uma

carreira solo onde assume todas as suas facetas, de compositora, instrumentista, intérprete, roteirista e diretora.

 O projeto será confessional, contando com a gerência criativa da artista em cada instrumento e videoclipe – todas as canções ganharão um, dirigido por ela. Já foram reveladas “Sankyu”, “Post-it”, “Plano baixo”, “Abisso” e “Segunda-feira”, inspiradas por paixões, saudades, perdas. Agora, “La Cancionera” soma a essas faixas, já disponível como clipe no YouTube e como single nas plataformas de streaming.

Fonte: Assessoria 

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.