Patrícia Patrocínio; 24/03/2021 às 19:00

KL música lança novo som de Jota Ghetto

VAGABOUNCE é o novo single do artista Jota Ghetto, que narra o cotidiano de quem vive nas ocupações, cortiços, pensões e calçadas da região central de São Paulo

VAGABOUNCE é o novo single do artista Jota Ghetto, que narra o cotidiano de quem vive nas ocupações, cortiços, pensões e calçadas da região central de São Paulo, seja o ambulante, a tia do café, o cantor de rap ou, como a letra traz, “quem vai num rasante bem tenso”. Todas as personagens dessa narrativa aparecem, individual ou coletivamente, a partir do primeiro verso; aparecem, somem e retornam, assim como é o fluxo do local descrito e a partir do momento em que anoitece numa região central que é ignorada, temida, a cidade ganha vida própria e nunca dorme. Produzida por Mestre Xim em 2016, a faixa tem os scratches de DJ Nyack e vozes de Kamau, mas por conta dos altos e baixos de quem vive da música o trabalho ficou pronto só agora. Mas chega pesado com direito a videoclipe, filmado no “habitat natural” de Jota Ghetto pelas mãos de Samukera e Lucas Kasahaya, mesmo diretor de ‘Modo F’ do rapper Coruja BC1.

Sobre o artista 

Julio Cezar, Gangsta Jay, J.C, Afro Punk. Muitas funções, muitos codinomes, mas um só artista: Jota Ghetto. Rapper, MC, cantor, percussionista, beatmaker, produtor musical e de eventos desde 1995, carrega em sua bagagem participações nos grupos sancarlenses N2F (1998-2001) e ZERO16 (2005-2010), ambos na companhia do Dj Scratch-J, com quem também produziu por quatro anos o festival SANCA HIP HOP(2007-2011). A arte se manifesta em sua vida desde a primeira infância, no meio dos anos 80, através do desenho, quando o artista tentava copiar os traços de seu irmão do meio e, depois de alfabetizado pela irmã, a mais velha, começando a fazer poemas, também tentando imitar o segundo irmão mais velho. Sua família teve um papel importante em suas referências musicais: a irmã gostava de Guilherme Arantes, Fabio Junior, Emilio Santiago, o irmão do meio era ouvinte de samba e pagode, gosto parecido com o do pai, fã de Martinho da Vila e de artistas internacionais como Harry Belafonte, Ray Charles e Clementina de Jesus. Mas o irmão mais velho, por ser poeta, foi quem exerceu influência direta, trazendo para casa discos de bandas de rock como The Smiths, Police, Toy Dolls, Bad Brains, o skate, calças rasgadas e fanzines. O rap ainda não era uma realidade consolidada no Brasil e, por isso, o rock foi a primeira impressão de cultura urbana que Jota teve. Atuou e produziu a trilha sonora do curta-metragem NA TRAVE em 2007, que conta a história de um jovem que tem o sonho de se tornar um jogador de futebol frustrado pela necessidade de uma renda fixa que ajudasse a família, se tornando posteriormente um metalúrgico. Colaborou entre os anos de 2007 e 2011 como “matador de aluguel’’ e cantor no Ganja Groove Sound System, sistema de som pioneiro no interior paulista, trazendo para os selectah’s de São Carlos uma vitória na SOUNDCLASH VIRTUAL, torneio virtual disputado pelo site Myspace. Em companhia de sua última banda, a ZERO16 participou da penúltima edição do festival HUTUZ, grande premiação do hip hop brasileiro, idealizado por Mv Bill no Circo Voador, Rio de Janeiro. Em 2009, no festival FEST AFRO em Rio Claro, um festival de MPB (Música Popular Brasileira), levaram o 3º lugar. Ainda com a mesma banda, participou do 2º Festival Contato, organizado pelo Fora do Eixo, festival de grande relevância no calendário da ABRAFIN (Associação Brasileira de Festivais Independentes), assim como Rec-Beat, João Rock, Festival Calango e outros. Em 2009, Jota resgata alguns beats produzidos inicialmente para o ZERO16, retorna seu lado beatmaker juntamente com Lincoln Rossi (Sub-bloco Coletividade) e inicia o trabalho solo de 13 faixas intitulado Dinamikrophonia, seu primeiro álbum. Entre o final de 2011 e o meio de 2012, graças à repercussão do seu trabalho solo que vendeu mais de 1800 cópias de forma orgânica, o artista faz importantes colaborações musicais ao longo dos anos com nomes como Bitrinho Mc, Flow Mc (Afrika Kidz Crew), Hadee (Som Sujo), James Ventura, Henrick Fuentes (Marreta Rec), Kamau, Emicida, Anarka, Rashid, Inquérito, Amiri e Dj KL Jay (Racionais Mc’s), além de colaborações em vídeo com Black Alien e Rodrigo Ogi w muito mais. Sendo um dos artistas mais talentosos e autênticos que a cena underground pode contemplar, Jota Ghetto se encontra em estúdio, atualmente, depois de um hiato de 12 anos, para um novo trabalho, o EP ‘Asfáltico’.

VAGABOUNCE

FICHA TÉCNICA: 

Música: Vagabounce 

Artista: Jota Ghetto 

Produção: Mestre Xim 

Scratches: DJ Nyack 

Sample: Cyro Aguiar – Não Pise no Meu Calo 

Gravadora: KL Música, 2021 

Fonte: assessoria

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.