Isabella Botelho; 11/06/2021 às 17:00

Instituto Ela arrecada absorventes para jovens em situação de vulnerabilidade social

Em Manaus, o Colégio Martha Falcão é ponto de entregas de doações

A pobreza menstrual, termo que se refere a falta de acesso a recursos, infraestrutura e conhecimento por parte de pessoas que menstruam para cuidados envolvendo a própria menstruação, afeta milhões de mulheres e meninas que vivem em situação de pobreza e vulnerabilidade no Brasil.

Pensando em começar a mudar essa realidade, o Instituto Educadoras do Brasil (Ela), por meio da representação regional no Amazonas, está promovendo a campanha “Adote um Ciclo”. A iniciativa, que está sendo realizada em todo o país, pretende arrecadar absorventes higiênicos para serem doados a jovens mulheres em situação de vulnerabilidade social. Serão contempladas pelo projeto em Manaus estudantes de Escolas Públicas localizadas na periferia da cidade, Maternidades Públicas e meninas atendidas pela Casa Mamãe Margarida.

As instituições locais já estão aderindo à campanha. O Colégio Martha Falcão, desde o início desta semana e até o final de julho, estará recebendo as doações em sua sede na rua Salvador, 455, bairro Adrianópolis. Podem participar estudantes e a população em geral. 

A professora Nelly Falcão, diretora do Pinocchio Centro Educacional e Colégio Martha Falcão e representante do Instituto Ela na região Norte, convida outras escolas a aderirem a esta iniciativa, envolvendo os estudantes em uma causa tão nobre como esta. Segundo ela, a chamada pobreza menstrual é um problema grave em todo o mundo e que neste momento de pandemia agravou-se. “São mulheres que não têm condições de adquirir produtos básicos de higiene, como um absorvente”, disse.

Além das doações, as mulheres também receberão orientações sobre prevenção de doenças e gravidez precoce. A equipe multidisciplinar do Colégio Martha Falcão, formada por pedagogas, assistentes sociais, médicas e enfermeiras, participarão da ação.

De acordo com Nelly Falcão, a expectativa é que toda a sociedade possa participar da campanha. “Esperamos contar com o apoio das empresas como drogarias e supermercados, além da população em geral para as doações. Juntos, vamos ajudar o máximo de mulheres”, destacou.

Fonte: Assessoria

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.