Por Isabella Botelho; 01/04/2019 às 16:25

#EspecialDiaDaMentira: 3 notícias falsas

Relembre três notícias falsas que repercutiram nacionalmente

O Dia da Mentira é ‘comemorado’ hoje, 1 de abril, e é tradição pregar peças e espalhar boatos falsos. Trazendo para a área da comunicação, que tal relembrarmos 3 matérias falsas que ganharam muita repercussão? Confira:

Grávida de Taubaté – 2010

Quem nunca ouviu falar da grávida de Taubaté, não é mesmo? O caso aconteceu em 2012, quando a pedagoga Maria Verônica Aparecida César Santos, de Taubaté, São Paulo, enganou o Brasil inteiro, inclusive seu marido, ao conquistar a audiência da TV e da internet com a sua gravidez de quadrigêmeos.

Na época, Maria Verônica foi convidada a participar de alguns programas de TV, nos quais pediu doações. Vários jornalistas e apresentadores fizeram campanhas e ela começou a receber doações de fraldas e utensílios necessários para o enxoval dos bebês.

A farsa foi descoberta após Maria Verônica passar mal e se recusar a fazer exames no hospital, o que obrigou a mulher a confessar a mentira.

A morte de Amin Khader – 2011

Em 2011, vários jornais noticiaram a morte do promoter Amin Khader após postagens de seu amigo David Brazil, no Twitter. A notícia foi amplamente divulgada e ganhou grande repercussão no país, mas, na mesma tarde, Amin foi visto correndo numa praia do Rio de Janeiro e através de entrevistas, desmentiu toda a história.

Boneca Momo – 2019

Desde 2018, quando um perfil ‘seu’ foi criado no WhatsApp e enviava vídeos e imagens assustadoras, a boneca Momo ficou conhecida pelas pessoas e, principalmente, por pais de crianças pequenas. Esse ano, a ‘boneca assassina’ voltou a aparecer, mas dessa vez em vídeos infantis.

A produtora de conteúdo Juliana Tedeschi Hodar recebeu um vídeo com o “Desafio da Momo”, no qual a boneca invade vídeos infantis para incentivar crianças a cometerem automutilação e suicídio. Baseado nesse relato de Tedeschi, a revista Crescer, sem apuração, publicou a seguinte matéria: “Momo aparece em vídeos de slime do YouTube Kids e ensina as crianças a se suicidarem, diz mãe.

A partir disso, outros veículos de comunicação passaram a noticiar o caso, apavorando pais e mães. A ONG Safernet, referência em segurança digital, foi consultada e o Ministério Público da Bahia, por meio do Núcleo de Combate a Crimes Cibernéticos, notificou o YouTube e o WhatsApp. Nenhum deles encontrou links ou URLs que direcionassem a vídeos que contivessem o conteúdo denunciado.

A verdade é que existem sim vídeos da boneca no Youtube, porém, nenhum deles incentiva ou ensina técnicas de suicídio. Momo é, na verdade, a escultura Mother Bird, criada pelo artista japonês Keisuke Aiso e  inspirada em uma lenda japonesa que conta a história de uma mulher que morreu no parto e voltou para assombrar os humanos.

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.