Ariel Bentes; 30/03/2019 às 13:00

Djuena Tikuna é a primeira jornalista indígena formada no Amazonas

A jornalista também é cantora e é a primeira indígena a cantar no palco do Teatro Amazonas

Durante o mês de março, o Mercadizar produziu e publicou o Especial Mês da Mulher. Em seu encerramento, não poderíamos deixar de falar das mulheres indígenas, dessa forma, conheça Djuena Tikuna.  

Nascida em Umariaçu, comunidade em Tabatinga povoada predominantemente por indígenas, Djuena Tikuna é a primeira jornalista indígena formada no Amazonas. Formada pelo Centro Universitário do Norte (UniNorte), para ela o seu papel é o de promover o intercâmbio cultural e de informação entre os povos.

“Quando fui chamada ao palco para falar com os meus colegas e familiares, me passou um filme na cabeça, com as imagens de todos os momentos de alegrias e dificuldades que passei para chegar até aquele desfecho”, disse a jornalista ao site da UniNorte.

Com o significado de “a onça que pula no rio”, Djuena, além de jornalista, é cantora. Desenvolvendo sua arte desde muito nova, ela acompanhava as manifestações culturais dos familiares nos rituais de luta do movimento indígena amazônico. Já em Manaus, descobriu o teatro por meio da peça “Antes quando o mundo não existia”, mito indígena adaptado pela companhia de teatro Vitória Régia do diretor Nonato Tavares.

Djuena vem se destacando cada vez mais em nível nacional, participando de vários eventos importantes como, RIO + 20, Festival da Cidade Canção de Maringá e também foi a primeira indígena a protagonizar um show no Teatro Amazonas. Além disso, ela é ativista e já participou de uma canção de protesto pela demarcação de terras indígenas no Brasil, denominada “Demarcação Já”, junto com artistas como Gilberto Gil e Ney Matogrosso.

Fonte: Assessoria 

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.