Por Isabella Botelho; 10/09/2019 às 16:01

Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio

Entenda como reconhecer e ajudar pessoas em sofrimento

Segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado ontem, 9, véspera do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio todos os anos. Hoje, ele é apontado como a segunda maior causa de óbitos entre jovens com idades de 15 a 29 anos, atrás de acidentes de trânsito.

Dos 183 países integrantes da OMS, apenas 38 contam com uma estratégia de prevenção ao suicídio, com informações de boa qualidade sobre o tema, o que dificulta a elaboração de ações eficazes. Por isso, após a divulgação do relatório, a organização alerta sobre a necessidade dos governantes de estabelecerem estratégias nacionais, instituindo medidas preventivas e orientações para auxiliar a população a lidar com o tema, ainda considerado um tabu.

Ainda segundo o relatório, uma pessoa se suicida a cada 40 segundos, número que, conforme destacado no texto, não representa fielmente a realidade já que, além das mortes devidamente registradas, existem outras tentativas e óbitos não contabilizados como suicídio.

O suicídio é um fenômeno complexo que pode afetar indivíduos de diversas origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Mas, ainda sim, pode ser prevenido. É preciso que saibamos reconhecer os sinais de alerta, não apenas em nós mesmos, mas nos outros.

Sinais para saber e agir (Fonte: Ministério da Saúde)

– Aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas;

– Preocupação com sua própria morte e falta de esperança;

– Expressão de ideias ou de intenções suicidas;

– Isolamento

O que fazer diante de uma pessoa sob risco de suicídio? (Fonte: Ministério da Saúde)

– Encontre um momento apropriado e um lugar calmo para falar sobre suicídio com a pessoa. Deixe-a saber que você estará lá para ouvi-la, ouça-a com atenção e ofereça apoio;

– Incentive a pessoa a procurar ajuda de profissionais da área de saúde, saúde mental, emergência ou apoio em algum serviço público. Ofereça-se para acompanhá-la ao atendimento;

 – Se você acha que esta pessoa está em perigo imediato, não a deixe sozinha;

– Se a pessoa com quem você está preocupado mora com você, assegure-se de que ela não tenha acesso a meios para provocar a própria morte (Exemplo: pesticidas, armas de fogo, medicamentos etc.);

– Fique em contato para acompanhar como a pessoa está e o que está fazendo

Centro de Valorização da Vida (CVV)

Os contatos com o CVV podem ser feitos gratuitamente, 24h por dia, através do número 188, pessoalmente nos postos de atendimento ou pelo site, por chat e e-mail. Todos os anos são realizados mais de 2 milhões de atendimentos, por aproximadamente 3.400 voluntários, localizados em 21 estados e no Distrito Federal.

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.