Por Nayá Costa; 07/10/2019 às 17:56

Confira os destaques do 9º Fórum da Internet no Brasil

O evento serviu de base para a discussão sobre a falta de acesso a internet na região norte

O Fórum da Internet no Brasil foi realizado pela primeira vez em Manaus. A 9º edição do Fórum aconteceu entre os dias 1 a 4 de outubro. O evento promoveu palestras e workshops voltados para estudantes e pesquisadores das áreas de comunicação, tecnologia e direitos humanos.

Entre os temas, tiveram destaque assuntos voltados para a economia digital, como privacidade de dados, estratégias de massificação da banda larga, melhoria do acesso em áreas remotas e utilização de IA em políticas públicas. Também foram discutidos temas globais, como a questão da violência e violação de direitos humanos, além da falta de acessibilidade no universo digital.

Dia Zero

O Dia Zero serviu para dar início aos debates, além de visibilidade à organizações. O espaço do evento foi utilizado para discussões temáticas, encontros de grupos e promoção de atividades voltadas para o público do Fórum.

Palestras 

No primeiro dia, durante o painel sobre os impactos da LGPD, Flavia Lefrève, (conselheira do Comitê Gestor da Internet no Brasil), enfatizou as atribuições feitas ao CGI por meio do decreto de regulação do Marco Civil da Internet, reforçando a importância do Comitê enquanto regulador do funcionamento da internet.

No Salão E, a diretoria das lojas Bemol marcou presença para uma sessão sobre o “Empreendedorismo e a infraestrutura da região Norte”. Na ocasião, apresentaram um dos grandes projetos da marca no interior e capital do Estado, a rede wi-fi “Bemol Cortesia”, responsável por levar internet aos municípios de Autazes e Tefé. Para os diretores da empresa, o empreendedor amazonense deve ter um perfil arrojado, pois só assim conseguirá driblar os problemas de conectividade que a região enfrenta. 

O segundo dia de evento teve início com uma discussão sobre “Software livre, audiovisual e internet – ferramentas para produzir, circular e exibir a diversidade”, onde o representante do Gunga Estúdio de Comunicação e Design apontou como atual desafio da produção audiovisual brasileira a distribuição do conteúdo, que ainda se restringe à plataformas como o Vimeo, Youtube e Festivais não alcançando comunidades ribeirinhas. Gunga é um estúdio de comunicação e design, fundado em 2008, formado por artistas, pesquisadores, videomakers, designers e programadores, que trabalham exclusivamente com software livre. Os valores da empresa são baseados na economia solidária e na cultura livre.

Encerramento

O evento encerrou com a palestra sobre Inclusão e Ética na Inteligência Artificial, mostrando como o uso da tecnologia deve ser utilizado buscando abranger todos. Durante o debate, a Acessibilidade na Web também foi discutida, buscando conscientizar o público sobre a necessidade de acesso à internet por pessoas com deficiência.   

Foto: Divulgação

O Fórum foi um ambiente importante para a mobilização sobre o acesso à Internet nos municípios do interior do Amazonas, pois segundo a pesquisa TIC Domicílios 2018, divulgada pelo CGI.br, 36% dos domicílios na região Norte não possuem acesso à Internet. Além disso, durante o Fórum, foi debatido o enorme potencial da região, que dispõe de uma tecnologia precária. Como citado, “enquanto o mundo discute o 5g, ainda debatemos no Amazonas a precária infraestrutura para levar Internet a todos os municípios do Estado”. É necessário trabalhar e debater ainda mais a questão da tecnologia e a falta de acesso em áreas afastadas do centro do país.

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.