Isabella Botelho; 07/01/2021 às 19:00

Como a propaganda está ajudando o Reino Unido a frear a Covid-19

Durante a pandemia, esta área da comunicação tem uma função social ainda mais importante

A propaganda tem como objetivo principal influenciar uma audiência. Além de ser utilizada  para persuadir em aspectos ideológicos, políticos e comerciais, ela também pode ter uma função social importante, principalmente quando falamos em saúde pública. Durante a pandemia que vivemos, por exemplo, tornou-se comum encontrar campanhas que incentivem as pessoas a ficarem em casa para conter o coronavírus. No Reino Unido, mais especificamente, seu impacto e alcance vêm sendo amplamente utilizados para alertar as pessoas sobre a importância de continuar respeitando as medidas sanitárias para que possam se proteger de uma variante ainda mais contagiosa da Covid-19. 

Na terra da Rainha Elizabeth, a principal estratégia de comunicação da pandemia é conduzida pela agência MullenLowe Londres e tem ações realizadas em parceria com a agência de mídia do governo inglês, a Manning Gottlieb OMD. Em novembro, a campanha reportou investimentos da ordem de £100m, o equivalente a pouco mais de 661 milhões de reais.

Atualmente, o Reino Unido vive seu terceiro lockdown. Decretado no dia 4 de janeiro, o período vem acompanhado de peças que resgatam o slogan “Fique em casa. Proteja o Serviço Nacional de Saúde. Salve vidas”. A TV, importante meio de comunicação, foi usada pelo primeiro-ministro Boris Johnson para anunciar o plano de restrições, que inclui o fechamento de escolas e o deslocamento apenas em casos de assistência médica, compra de alimentos e exercícios físicos. As medidas devem valer até fevereiro.

(Foto: Reprodução/Internet)

O político ainda utilizou o Twitter para expor a imagem do slogan usado desde o primeiro isolamento. A mídia out-of-home também ajudou a advertir quem ainda insiste em andar pelas ruas. 

De acordo com autoridades, a estratégia de comunicação para esse novo lockdown leva em consideração o aumento de casos deflagrados pela nova variante da doença, motivo que explica o retorno do slogan, além de mensagens claras com instruções capazes de frear o avanço do novo coronavírus.

As campanhas públicas de informação, que em seu pico impactam cerca 95% dos adultos em média 17 vezes por semana, ajudarão os cidadãos ingleses a adotarem comportamentos capazes de preservar a sua saúde e a de familiares e amigos, além da própria comunidade. 

A Associação de Propaganda do Reino Unido sublinha o importante papel da indústria em auxiliar na disseminação de mensagens de saúde pública, como já havia acontecido nas fases anteriores do lockdown. “Sem dúvida, veremos isso novamente com o governo dando continuidade ao uso da propaganda para se comunicar com o público e com as marcas e apoiando tudo isso por meio de suas próprias campanhas publicitárias”, diz Stephen Woodford, uma das lideranças da entidade.

O executivo ainda acrescenta que os negócios do setor ainda precisarão de auxílio para segurar empregos, mas acredita na retomada com a vacina.  

Fonte: Propmark

*O Mercadizar não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.